Polícia do RJ adota sistema de reconhecimento facial para identificar criminosos

Compartilhe:
RSS
Facebook
LinkedIn
Instagram
Twitter
Follow by Email

Em uma parceria do Disque Denúncia com a empresa britânica Staff of Technology, a polícia do Rio de Janeiro vai passar a buscar por criminosos utilizando o reconhecimento facial.

Com a tecnologia do sistema Facewatch, cerca de 1.100 dos criminosos mais perigosos do estado poderão ser identificados automaticamente se passarem pelas câmeras do serviço. Ao fazer uma identificação, um alarme é disparado de forma silenciosa para as autoridades mais próximas do local, aumentando a possibilidade de uma abordagem e prisão pacíficas.

“A nós do Disque Denúncia cabe fornecer o banco de dados, com as imagens de procurados, bandidos perigosos, principais alvos do Rio de Janeiro. Estas informações serão utilizadas nas câmeras, para fazer o reconhecimento facial. Se um desses procurados entrar em algum lugar que esteja monitorado, ele poderá ser identificado”, conta Zeca Borges, coordenador do Disque Denúncias.

O Facewatch é uma tecnologia utilizada no Reino Unido há sete anos, com mais de 30 mil câmeras espalhadas pelo país. Matheus Torres, chefe de operações da subsidiária da empresa no Rio de Janeiro, conta que o sistema é uma ferramenta de segurança pública.

“A polícia do Reino Unido usa em câmeras de rua e câmeras privadas. No Brasil, estamos trabalhando há um ano e meio. A dificuldade aqui é que as câmeras são de CFTV (monitoramento em circuíto fechado), colocadas muito altas e distantes”, explica.

A parceria com o Disque Denúncia aconteceu na residência oficial do cônsul-geral britânico no Rio de Janeiro, Simon Wood, que reuniu especialistas no assunto para debatar as vantagens da adoção. O cônsul comentou que é preciso haver leis que protejam os dados capturados pelas câmeras para garantir os direitos dos cidadãos.

Wood conta que, em Londres, o sistema de leis que garante o anonimato das pessoas que não tem relações com os crimes é grande. “Temos que equilibrar a tecnologia com a lei para não causar prejuízos aos dados pessoais”, finalizou.

Wilson Witzel, governador eleito do Rio, afirmou ter o interesse de implementar a tecnologia em todo o estado.

Fonte: Agência Brasil

Deixe uma resposta